Perdidos no Espaço | Review

As reviews são feitas analisando três aspectos do filme: diversão, história e custo/benefício. As notas de cada tópico separadas não determinam se um filme é bom ou ruim. Bom e ruim são coisas extremamente pessoais e por isso nós desenvolvemos o raciocínio usado para dar cada nota. De qualquer forma, aqui vai o significado de cada classificação: 

  • 0 lembas - Em qualquer aspecto é uma forma de te dizer que não vale a pena ver o filme, em nenhuma hipótese. Mais do que isso, é uma indicação de que existe um problema sério com a nossa sociedade, precisaremos organizar uma rebelião e derrubar alguns governos.
  • 1 lemba -  Ruim. É bem provável que tenham usado esse filme para lavar dinheiro ou coisa assim.
  • 2 lembas - Aceitável. Nem sempre um filme busca ser incrível. Provavelmente esse nem tentou.
  • 3 lembas - Bom, mas não vai mudar sua vida, talvez mude seus planos para o almoço.
  • 4 lembas - Ótimo, o estúdio vai ganhar uma boa grana com o filme e você vai sugerir que seus amigos assistam. Eles provavelmente não vão assistir e você vai desejar ter amigos melhores.
  • 5 lembas - Existe algo de sobrenatural no filme, você sabe disso, as pessoas à sua volta também sabem disso, mas ninguém fala a respeito.

Retirada de uma das mais antigas e importantes referências da ficção científica Perdidos no Espaço da Netflix é uma série ambiciosa no que diz respeito à pretensão de reviver um clássico e também no que diz respeito ao seu altíssimo nível de produção.

Criada na década de 1960, a série original mostrava uma realidade onde o planeta Terra sofria com a superpopulação, uma família então foi escolhida para desbravar o cosmos em busca de um planeta habitável no sistema de alfa centauri: Os Robinsos.

O reboot da Netflix traz várias mudanças de conceitos e principalmente paradigmas. Antes perceptivelmente centrada em personagens masculinos, Perdidos no Espaço da Netflix apresenta uma abordagem bem mais equilibrada dos papéis na história - o que inclui algumas mudanças de etnia, gênero e protagonismo. E acredite quando eu digo: nada disso influencia negativamente a trama - algo que eu sinto que preciso dizer, mas que acho que deveria ser óbvio demais até para quem ainda não assistiu.

Na série, John, Maureen e seus filhos Judy, Will e Penny viajam em uma estação espacial chamada Resolute que parte em direção ao sistema de alfa centauri com o objetivo de estabelecer novos colonos após a Terra sofrer um cataclisma. Depois de um acidente envolvendo a estação, a família cai em um planeta desconhecido junto com diversos outros sobreviventes que incluem o mecânico Don West e a misteriosa Dra. Smith - ambos personagens centrais na série clássica e que sofreram grandes modificações neste reboot.

Diversão: 4 de 5 lembas

Perdidos no Espaço possui personagens com características e histórias pessoais mais profundas do que normalmente se vê em outras séries populares. Em diversos episódios vemos um ponto de vista específico de um dos integrantes da família Robinson sendo usado para contar a história - o que torna tudo mais imersivo e até mesmo intenso. Além disso, a série definitivamente não deixa a peteca cair, NUNCA. A todo momento uma nova situação ocorre e coloca em risco a sobrevivência dos personagens, o que não é necessariamente feito de uma de uma maneira fluida, mas que com certeza vai agradar os amantes da ação.

Um aspecto que precisa ser mencionado é a atuação de Ignacio Serricchio como o aparentemente egoísta e quase completamente cômico Don West, que é aquela agradável pitada de diversão em uma situação onde todo mundo pode morrer.

A família Robinson passa por um sufoco à cada três furadas em que se metem

História: 3 de 5 lembas

A série da Netflix dá uma remexida nos acontecimentos da versão de 1965 e embute mistério de um forma bem agradável: o que faz o espectador querer assistir o próximo episódio é a trama e não um recurso pobre e qualquer usado nos últimos minutos. Você vai se interessar pelos acontecimentos na Terra, pelo acidente que a família sofreu, pela origem do "robô" e pelas intenções da Dra. Smith - a vilã da história.

Falando nela, a Dra. Smith na série original era um homem contratado para sabotar a nave dos Robinsons, mas que acaba ficando preso nela após ter destruído seus sistemas de navegação. Na Netflix no entanto, temos uma personagem absolutamente psicopata, cuja única preocupação é sua sobrevivência. Enquanto outros personagens ganharam profundidade nessa adaptação, a vilã - na minha opinião uma das partes principais de qualquer história - sofreu o processo inverso. Não que isso atrapalhe muito o decorrer dos acontecimentos, inclusive, uma vilã humana é um dos menores problemas de quem está perdido em um planeta alienígena, no entanto a ausência de uma motivação interessante da antagonista deixa a série menos interessante do que poderia ser.

Outro detalhe que acaba tirando um pouco do potencial da série se chama Will Robinson. O Will Robinson só faz cagada, mais cagadas do que seria racionalmente tolerável em um planeta perigoso.

Will Robinson em um momento raro: não fazendo cagada

Custo/Benefício: 5 de 5 lembas

A Netflix leva uma vantagem enorme nesse quesito, todos os episódios de Perdidos no Espaço estão disponíveis no serviço de stream e mesmo com cada um deles tendo cerca de 40 à 60 minutos, o ritmo frenético não deixa o espectador ficar entendiado - com raiva das atitudes de Will Robinson e Dra. Smith talvez, mas entediado não.

O objetivo da Dra. Smith é simples: ferrar com a vida do máximo de pessoas possíveis no seu tempo de tela
Perdidos no Espaço é a série perfeita para você assistir durante o final de semana, de preferência no finalzinho da tarde com a família ou o(a) crush do ladinho, todo mundo ali junto gritando desesperado à cada decisão ruim tomada pelas crianças Robinson. 

A série já está disponível na Netflix e você confere o trailer clicando aqui.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Lembas no Whatsapp!